Transtorno depressivo maior

o mal do século

COMPARTILHE

Voltar

O Transtorno Depressivo Maior é um dos maiores problemas do país. Uma pesquisa recente, feita pela Organização mundial de Saúde, apontou que o Brasil é o terceiro país no ranking mundial com maior prevalência de depressão.

Apesar de não levantar detalhes sobre as causas, a pesquisa também mostra o gritante crescimento de 18% de casos de depressão nos últimos 10 anos. Estima-se que, até 2030, essa será a doença mais comum do mundo, afetando mais pessoas do que qualquer outro problema de saúde, como o câncer, a AIDS ou a hipertensão.

Como já vimos aqui no blog, a perda de energia e o cansaço constante, a sensação de tristeza profunda, a irritabilidade e a lentidão, se recorrentes por mais de duas semanas, podem ser sintomas de depressão e merecem atenção dobrada.

Aprenda a identificar

Com todos esses dados alarmantes e por trazer sintomas muito semelhantes a outras doenças, é importante saber identificar e entender como a depressão é diagnosticada.

Segundo o Manual de diagnóstico e estatístico de transtornos mentais, para ser considerado dentro de um quadro de transtorno depressivo maior, o paciente precisa apresentar cinco (ou mais) dos seguintes sintomas durante o mesmo período de duas semanas, e estes representarem uma mudança significativa em relação ao funcionamento anterior. Veja a baixo:

1. Humor deprimido na maior parte do dia, quase todos os dias, conforme indicado por relato subjetivo;

2. Acentuada diminuição do interesse ou prazer em todas ou quase todas as atividades na maior parte do dia, quase todos os dias;

3. Perda ou ganho significativo de peso sem estar fazendo dieta, ou redução ou aumento do apetite quase todos os dias;

4. Insônia ou hipersonia quase todos os dias;

5. Agitação   ou   retardo   psicomotor quase   todos   os   dias;

6. Fadiga ou perda de energia quase todos os dias;

7. Sentimentos de inutilidade ou culpa excessiva ou inapropriada (que podem ser delirantes) quase todos os dias;

8. Capacidade diminuída para pensar ou se concentrar, ou indecisão, quase todos os dias;

9. Pensamentos recorrentes de morte (não somente medo de morrer), ideação suicida recorrente sem um plano específico, uma tentativa de suicídio ou plano específico para cometer suicídio.

Apesar de parecer simples, o diagnóstico do Transtorno Depressivo Maior só pode ser dado de fato por um médico especializado, em geral um psiquiatra.

Essa é uma doença séria e quando não tratada pode levar o paciente a óbito.

Publicado: 22/06/2017


AnteriorPróximo