Transtorno de Ansiedade tem cura?

Transtornos de ansiedade compartilham características de medo, ansiedade e perturbações excessivas.

COMPARTILHE

Voltar

O que é ‘transtorno de ansiedade’?

O transtorno de ansiedade é definido pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais como sendo ‘transtornos que compartilham características de medo, ansiedade e perturbações excessivas’.

O medo é o nosso mecanismo de defesa. É ele que nos protege quando estamos ou percebemos uma situação de perigo. Já a ansiedade é a antecipação de uma ameaça futura.

De certa forma esses dois estados, o de medo e de ansiedade, se misturam e se relacionam, mas é bem comum diferenciá-los como o medo sendo frequentemente associado à uma reação diante de um perigo imediato, e a ansiedade como sendo uma reação de esquiva diante de uma situação de perigo que pode vir acontecer.

 

“Mente acelerada é mente desequilibrada”
Dr. Isaac Efraim

 

O transtorno de ansiedade, diferente do medo, persiste por médios ou longos períodos e são excessivos. Às vezes os sintomas se estendem por seis meses ou mais e se não tratados podem elevar o nível de estresse à um grau altíssimo.

Além disso, existem vários tipos de transtornos de ansiedade e eles se diferem entre si. Para particulariza-los são consideradas as situações temidas ou evitadas e pensamentos associados. Por isso, não se aconselha o diagnostico caso os sintomas sejam frutos do uso de alguma substância ou medicação.

 

Quais são os tipos de transtornos de ansiedade?

  • Transtorno de ansiedade de separação

Esses indivíduos são persistentemente apreensivos, além do nível saudável para o desenvolvimento, quanto à separação de suas figuras de apego. Ou seja, são relutantes quando colocadas diante de uma situação que pode leva-los à perda de tais figuras. Esse tipo de transtorno de ansiedade geralmente se desenvolve na infância, mas também pode ser encontrado na vida adulta.

 

  • Mutismo seletivo

Principalmente caracterizado pela incapacidade de falar em situações sociais em que se espera que o indivíduo fale. Essa incapacidade pode, na vida adulta, causar grandes prejuízos econômicos e profissionais.

 

  • Fobias Específicas

Pessoas diagnosticadas com esse tipo de transtorno de ansiedade, geralmente são apreensivas e se esquivam o máximo de uma situação de perigo extremamente particular. Exemplo: medo excessivo de injeção/ferimento/sangue.

 

  • Transtorno de ansiedade social

Especificamente neste caso, a pessoa ou indivíduo evita situações em que existe a possibilidade de uma avaliação social. São considerados casos em que há um contato com pessoas que não seus amigos ou familiares em que ele possa ser observado.

 

  • Transtorno de Pânico

Indivíduos que sofrem deste mal são persistentemente apreensivos ou preocupados com a possibilidade de experimentarem ataques intensos, abruptos e repentinos de pânico. Geralmente se esquivam de situações e locais que os colocam em um estado de medo intenso ou desconforto.

 

  • Agorafobia

Pessoas diagnosticadas com agorafobia são exageradamente apreensivas diante de duas ou mais situações das citadas abaixo:

- Usar transporte público;

- Estar em espaços abertos;

- Estar em lugares fechados;

- Ficar em uma fila

- Estar no meio de uma multidão;

- Estar fora de casa sozinho em outras situações.

 

  • Transtorno de ansiedade generalizada

Especificamente neste caso, os indivíduos se sentem extremamente desconfortáveis e apreensivos diante de várias situações que estão sob o seu domínio. Exemplo: seu desempenho no trabalho, na escola.

 

A Existem escalas específicas, que consideram sintomas comportamentais, cognitivos e físicos, que facilitam o diagnóstico correto de cada transtorno de ansiedade.

O transtorno de ansiedade tem tratamento. Por isso, é indispensável uma avaliação médica.

 

Fonte: Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais - AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION

Publicado: 23/09/2016


AnteriorPróximo