Dores Crônicas - Diagnóstico e tratamento.

Cerca de 30% da população do planeta sofre com dores crônicas

COMPARTILHE

Voltar

A dor é muito importante para a sobrevivência do homem, é ela que protege o indivíduo de situações de exposição e risco. Diferente das dores agudas, as dores crônicas tendem a permanecer por 90 dias ou mais e podem até se estender por anos.

Dores crônicas são muito mais comuns do que se imagina e não devem ser tratadas como sendo algo ‘natural e corriqueiro’. Cerca de 30% da população do planeta sofre deste mal.  No Brasil, o IBG identificou que 18,5% das pessoas, com mais de 18 anos, sofrem de dores crônicas de coluna.

Negligenciar e desprezar as queixas de dores pode adiar ou até mesmo influenciar negativamente no tratamento. Além disso, a dor crônica está intrinsicamente ligada a ansiedade e depressão e pode privar o indivíduo de suas obrigações cotidianas, como trabalho, escola etc.

O diagnóstico se dá através do relatório do próprio paciente e o tratamento varia de acordo com cada ‘causa’. Na maioria dos casos ele envolve diversas áreas e profissionais da medicina, como anestesistas, psicólogos, fisioterapeutas etc. É chamado ‘tratamento multidisciplinar’. Também existem soluções medicamentosas e tratamentos mais invasivos específicos para cada caso.

Bons hábitos, boa alimentação e a prática regular de exercícios físicos podem prevenir ou até mesmo auxiliar no tratamento.

Aconselha-se o acompanhamento da dor, se ela se estender ou sua intensidade aumentar gradualmente, é necessário a consulta clínica.

Publicado: 23/09/2016


AnteriorPróximo